Padrões de Beleza: não é preciso segui-los. Permita-se!

Você sabia que beleza não é uma questão de opinião e que dizer o contrário é reforçar uma cultura que oprime pessoas que pertencem a grupos minoritários? É o seguinte, os padrões de beleza são construções sociais.

Ou seja, ao longo dos anos, fatos históricos e sociais foram influenciando o que a sociedade considera como bonito e, em outra ponta, o que considera como feio. Naturalmente, nesse imaginário social, o feio foi se tornando sinônimo de inferior.

Quanto mais rápido você entender isso, mais rápido você saberá que não é necessário seguir padrão algum e se permitirá ser quem você realmente é! Quer entender melhor? Então, continue a leitura e vamos conversar!

O que são os padrões de beleza

Você já usou óculos com lentes coloridas? Se sim, sabe que ao colocar esse acessório a cor das lentes influenciará na cor de tudo o que estiver no seu campo de visão.

Entretanto, isso  não significa que o mundo mudou de cor, a alteração tem a ver exclusivamente com as lentes que você está usando. Os padrões de beleza são como essas lentes, quando você se enxerga ou enxerga os outros através deles, passa a ter uma visão distorcida.  Por exemplo:

  • Ao achar o fenótipo negro feio, você está usando um óculos com lentes racistas. O padrão de beleza das suas “lentes” certamente tem uma herança eurocêntrica.

  • Ao achar que apenas o corpo magro é saudável e ou belo, você está usando o óculos da eugenia — uma ciência que se dedica a tentar determinar e definir quais são os seres humanos com o melhor material genético. Esse caminho já foi utilizado para justificar genocídios, escravidão e colonização

É claro que citamos apenas alguns dos padrões de beleza que lançamos mão constantemente, mas existem outros. Por isso, é preciso ficar atento e se perguntar frequentemente porque sua estética ou de algumas pessoas te incomodam. Combinado? Ótimo!

Como a mídia e a sociedade reforçam os padrões de beleza

Seguindo nossos exemplos do tópico anterior, não é difícil deduzir que são fatores históricos e sociais que interferem diretamente nos nossos padrões de beleza.

É preciso refletir que se por um lado as situações históricas são responsáveis pelo surgimento de padrões de beleza na sociedade, por outro lado há um reforço constante que revitaliza diariamente esses padrões. Ou eles deixaram de existir.

Acreditamos que sim. O principal deles é, sem dúvida, o midiático. Não raramente, a mídia, em seus diversos formatos associa heterossexualidade, corpos brancos e esbeltos à saúde, bem estar e estética.

Diariamente, em diversos meios, a sociedade se depara com essa associação e tende a buscá-la. Ainda que sabidamente essa lógica seja contrária a pluralidade e as especificidades da população.

Porque qualquer beleza natural deve ser enaltecida

Tudo o que conversamos até aqui é para te incentivar a tirar os óculos preconceituosos que modificam a visão que você tem sobre si e sobre os outros. Não se amar ou não se achar naturalmente belo, não é algo bom, nem saudável.

Até aqui mostramos que o belo é uma construção social, certo? Está na hora de começar a mudar essa realidade. O que é construído pode ser desconstruído. Portanto:

  • procure ler e se informar sobre como alguns padrões de beleza se solidificaram;

  • analise se os conceitos por trás de cada padrão está de acordo com seus princípios;

  • veja se você está sendo gentil com você mesmo ao fazer comparações;

Gostou do texto e quer saber um pouco mais sobre estética e questões raciais? Então, aproveite sua visita e confira nosso texto sobre artistas negros que unem cultura, estilo e política. Venha construir novas referências!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This