Entenda mais sobre os relacionamentos inter raciais no Brasil

Infelizmente, o racismo é um elemento estruturador da sociedade brasileira. Olhando bem de perto, é possível encontrar sua lógica operando até mesmo em nossas relações pessoais, das amizades aos relacionamentos afetivos.

Muitas vezes, relacionamentos inter raciais são vistos com maus olhos por parte da sociedade. É papel de todos entender por que isso acontece e agir para mudar essa realidade. 

Que tal conversamos um pouco sobre relacionamentos inter raciais no Brasil? Boa leitura!

As assimetrias e as desigualdades para além do indivíduo

Em nosso país existe um processo histórico que desumaniza os negros. Essa dinâmica pesa um pouco mais sobre as mulheres, que são tidas como seres indignos de amor, não belos e ultrasexualizados.

Como o homem negro é criado nessa mesma estrutura social, ele apreende esses valores de que as negras não têm o padrão de beleza que se deve desejar em uma parceira. Por consequência, estar com uma mulher não-negra lhe confere certo status.

O resultado dessa lógica pode ser verificada nos dados do IBGE (2010), que mostram que:

  • as mulheres negras são as que menos se casam;

  • em matrimônios inter raciais, normalmente, o cônjuge negro é o homem;

  • os relacionamentos inter raciais são mais comuns em classes mais pobres e raro em classes mais ricas.

Os dados citados não servem para questionar a autenticidade do amor em relacionamentos inter raciais, mas as hierarquias raciais que fazem algumas pessoas dignas de serem amadas e outras não. Quando se tem um grupo tão grande submetido a uma mesma lógica, há um problema estrutural, não é algo individual.

As hierarquias raciais e o afeto

As hierarquias raciais são fruto de um conjunto de teorias deterministas biológicas, que vigoraram entre os séculos XIX e XX, e tinham como objetivo sustentar a supremacia do branco frente ao sujeito negro.

As teorias deram origem a uma forma de discriminação baseada na tonalidade da pele (colorismo) que, por sua vez, criou uma segregação e exclusão social das pessoas de pele mais escura.

Assim, até hoje, não é incomum que pessoas negras de pele clara tenham dificuldade de assumir sua origem étnica racial e busquem modificar as características que lhe remetam à sua negritude. Assim, fogem da desvalorização que recai sobre os negros de pele escura.

Se por um lado a estrutura social hierarquiza as pessoas a partir do fenótipo — a ponto de fazer com que algumas tenham dificuldade ou sintam vergonha de quem são — por outro lado, as famílias inter raciais são exemplos de interações exitosas que descredenciam essas hierarquias.

Em relacionamentos inter raciais as pessoas têm, a todo momento, a oportunidade de negociar, vivenciar, legitimar, construir e desconstruir os significados da raça e, sobretudo, do racismo cotidiano vivenciado pela parte não branca.

O afeto como oportunidade de desconstrução

As hierarquias raciais podem ou não se reproduzir no interior de famílias e dos relacionamentos inter raciais. São as escolhas e o comportamento dos sujeitos envolvidos que farão a diferença. Por exemplo:

  • ao assumir o relacionamento publicamente;

  • ao manter um relacionamento afetivo saudável, quando for da vontade de ambos, não apenas sexual e oculto;

  • ao não exigir que o outro mude sua aparência;

  • ao reconhecer as diferenças em vez de ignorá-las;

  • ao não usar o colorismo para deslegitimar a negritude.

Vale ressaltar a questão dos filhos de relacionamentos inter raciais, estes merecem atenção redobrada para que tenham tranquilidade quanto a sua identidade racial e de seus pais, bem como com as cacacteristicas negras que possam carregar e que comumente os fazem vítima de discriminação, até mesmo na família. Infelizmente crianças negras são menos elogiadas, e muitas vezes inclusive consideradas os “primos feios” quando essas questões de identidade não são discutidas com amor e clareza na família, mais uma vez fazendo com que essas crianças se odeiem desde cedo, desejando se sentirem mais aceitas e amadas pedem aos seus pais para modificar o corpo de alguma foma, como alisando os cabelos, após ouvirem muiras críticas sobre seu cabelo crespo por exemplo, infelizmente muitas vezes ainda vai mais longe esse sentimento, fazendo com que menosprezem seus pais que lhe ofereceram estas caracteristicas negras. 
Tudo que essas crianças precisam é amor, como todas as outras, e não ignorar suas particularidades e que os pais e toda a família se preocupe em apoiá-los e elogiá-los desde cedo, saindo do pensamento consevador com que todos estamos acostumados, já que sabemos quantos preconceitos esse pensamento carrega e quanta dor pode causar.

Portanto, os relacionamentos inter raciais não são ilegítimos, pelo contrário. Mas, por sua natureza, enfrentam o desafio diário de ser um espaço de enfrentamento do racismo, mas também pode ser de empoderamento e de muito acolhimento, desde que seja feita a escolha de não ignorar nossas diferenças. 

E aí, o texto te ajudou a entender um pouco mais sobre relacionamentos inter raciais? Então compartilhe o link nas suas redes sociais e chame seus amigos para debater o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This