Conheça os 5 principais nomes da literatura afro-brasileira!

Você costuma ter o hábito da leitura e “devorar” os livros nacionais? Se a resposta foi “sim”, por acaso você saberia dizer alguns nomes dos melhores autores da literatura afro-brasileira?

Parece difícil pensar dessa maneira, afinal, na escola, não nos ensinam a raciocinar em questões afrocentradas. Por isso a importância de valorizarmos a nossa cultura e mostrarmos às crianças que a literatura nacional dispõe de grandes autores negros.

Neste post, daremos uma pequena pausa nos assuntos de transição capilar para trazer uma lista especial com as biografias de cinco escritores negros. Confira!

1. Afonso Henriques de Lima Barreto

Nascido sete anos antes da Lei Áurea, Lima Barreto foi um dos expoentes da literatura afro-brasileira, embora caminhasse pela linha tênue entre a genialidade e a loucura. Era de família humilde, mas conseguiu se instruir por meio da influência de seu padrinho, o Visconde de Ouro Preto.

Ele sempre sonhou em ser um renomado escritor, porém, via na cor da pele uma barreira social. Em muitas de suas obras, como Triste fim de Policarpo Quaresma e Clara dos Anjos, apresentou críticas à sociedade brasileira do começo do século XX, evidenciado os privilégios da aristocracia e os estereótipos da mulher negra.

2. Carolina Maria de Jesus

Em 1960, a mineira Carolina Maria de Jesus escreveu seu nome na história da literatura. Sua principal obra, o livro Quarto de despejo — Diário de uma favelada, virou um best-seller mundial, traduzido em 13 idiomas e com mais de 10 mil exemplares vendidos nos três primeiros dias.

Carolina se identificava como a “poetisa preta”, de uma linguagem simples, mas recheada de encanto. Em uma época em que não se ouvia ainda falar sobre empoderamento estético ou representatividade, sua escrita fez sucesso porque retratava a realidade nua e crua dos problemas sociais, econômicos e políticos.

3. Jarid Arraes

Apesar de ter Drummond, Gullar e Bandeira como grandes inspirações, a escritora Jarid Arraes percebeu que o número de mulheres era escasso na literatura nacional e resolveu virar esse jogo. Autora dos livros As lendas de Dandara e Heroínas Negras Brasileiras, Jarid marca presença no cenário literário desde os 20 anos.

Inclusive, devido à influência do lado paterno, viu na literatura de cordel um espaço para mostrar a sua percepção a respeito das questões da nossa realidade afro. Conta com mais de 60 publicações em cordel e até obras infantis, como A menina que não queria ser princesa e Os cachinhos encantados da princesa.

4. João da Cruz e Souza

Cruz e Souza foi um dos principais representantes do movimento simbolista do nosso país e um dos percursores da literatura afro-brasileira. Em Santa Catarina, onde nasceu e passou boa parte da vida, presenciou diversos episódios de racismo que o fizeram enxergar que ali não era o seu lugar.

Um abolicionista convicto e que não abria mão de descarregar suas críticas a respeito do que via naquela época. Pelos jornais que colaborou e em suas poesias, Cruz e Souza escancarou o quanto o homem negro sente dor e o que os nossos antepassados sofriam em meio a um período hostil e conservadorista.

5. Joaquim Maria Machado de Assis

Sem sombra de dúvidas, Machado de Assis pode ser considerado como um dos ícones da literatura afro-brasileira. Era um autor completo, pois escrevia romances, poesias, peças de teatro, contos, crônicas e vários artigos que, não à toa, fizeram dele o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL).

Vindo de uma família humilde e sem condições de bancar uma faculdade, Machado era um autodidata que lia com afinco qualquer livro que recebesse. Em sua carreira literária é conhecido pela autoria de Dom Casmurro, Helena, Iaiá Garcia, O Alienista, Quincas Borba, Memórias Póstumas de Brás Cubas e tantas outras obras.

Desse modo, é possível identificar que esses autores contribuíram muito em nossas vidas, por causa de suas lutas e da forma de se expressarem diante da sociedade. São histórias assim que servem como motivação para seguirmos adiante, firmes e com o propósito de sermos tão representativos quanto eles.

O que achou deste artigo a respeito da literatura afro-brasileira? Concorda com a lista ou gostaria de incluir outros escritores? Então, deixa o seu comentário no post para sabermos a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This